terça-feira, 13 de novembro de 2007

Perspectivismos


Sonhos que sonhei um dia, já os perdi
Porque sonhar não é viver, mas também não sei viver sem sonhar.
Desisto de procurar o que não acho. Estou cansado.
Decidi-me pela realidade porque a sinto junto à minha pele,
Toca-me e corta-me; desisto e faz-me ressentir.
Sempre pensei que seria conhecedor dos meus sonhos,
Senhor da minha realidade,
Criador de sonhos tornados realidade.
Hoje sei que sou o que me tornaram porque assim o deixei,
Desisti porque parei de tentar a sorte de uma vida
A sensação de sentir o descanso da felicidade.

(Contudo sou feliz contigo)

Perdi-me nesta minha realidade em que somos censurados
E o véu da crença foi-se rebaixando perante a dor
Sem que saiba o que isso é.

(Ainda hoje procuro a minha dor de ser, como o Outro a teve)

Sei que ainda há pouco perspectivei o que sentia,
Mas agora que sei que o sonho, deixou de o ser
Serei mais um nesta barca, nesta demanda pelo que é sincero,
Porque se os sonhos o são,
Também é verdade que a minha alma o está.

Perdi-me.

Eduardo Coreixo

2 comentários:

AnA disse...

Ainda bem que mesmo sem sugestão encontraste o tema porque é sempre importante exteriorizar...

Curto bué as janelas. lol

Anónimo disse...

oh eduardo, tu es um "fazedor de sonhos", com o k escreves fazes-nos, a nós que lemos, sonhar...
por isso continua a escrever.
E nunca, mas mesmo nunca desistas dos teus sonhos, esses sao o motor da vida, o que nos faz andar para a frente.
Beijinhos****