terça-feira, 4 de dezembro de 2007

À Cláudia, por me compreender, e à memória, por se lembrar...


"When I am dead
Lay me in a mound
Raise a stone for all to see
Runes carved to my memory"

Amon Amarth - Runes to My Memory

2 comentários:

Claudia disse...

Isto relembra-me uma letra de outra música,que "pergunta": "quem vai querer parar a guerra, quando a guerra faz morrer?".. diz-te algo? A memória é o nosso cofre mais complexo e armadilhado, como tu sabes, mas depois do escuro, é acreditar que sim e que não. Que "é necessário ter o caos cá dentro para gerar uma estrela" (Friedrich Nietzche).

Desejo-te um céu iluminado para a noite mais próxima que quiser vir.
(Obrigada).

Claudia disse...

Lol. E acabo de me dar conta que talvez tenha deixado um "daqueles" comentários que não gosto nada. Mas olha, a intenção é boa. xD