quinta-feira, 6 de março de 2008

Pessoa(s)


Gostava de me poder mascarar,
Fugir aos destinos que estamos destinados, respirar o ar daquela personagem
Poder gritar sem saber quem sou.
Usar a máscara indicaria a protecção de uma identidade
Aquela que até posso ter, mas que não mostro,
Qual esquizofrénico, gostaria de ser como Pessoa,
Viajar por diferentes mundos e crenças,
Adoptar diferentes poses de estar (a luta e a verdade)
Abrir a mão e mandar um murro na parede. Sem saber que sou eu.
A máscara seria o meu guarda-costas
(Desde que daquela vez chorei e fui criticado que quis ter um)
Sei que sou eu, mas a máscara seria o meu outro personagem.
Queria uma máscara de chorar, uma de rir, outra de pensar,
Queria um facto de mimo, outro de policia e um de burro,
Para conjugar com as máscaras.
Queria passar por ti e soprar-te nos olhos sem saberes quem sou,
Mandar-te beijos e olhar para o céu em jeito de inocência,
Criar as expectativas, sabendo que não as cumpriria.
A tua máscara posso ser eu, importaste?
Cubro o teu mau humor, a tua impaciência, mas não escondo
Não esconderei nem escondi o teu, nosso amor.
Quero, quererei e quis ser teu, e tu
Tu olhas, olharás, e olhaste para mim e gritaste que sim,
Que serias minha, mas que eu, pobre maltrapilho das máscaras,
Apenas seria teu quando abandonasse todas as diferentes personagens,
Só quando estivesse contigo, sem mais ninguém.
Queres que seja eu com a minha esquizofrenia
(porque sabes que é o que me inspira)
Mas apenas na poesia, porque a realidade não permite devaneios.
Pois então aqui me tens, sem máscara, sem pudor,
Apenas eu, com o meu fato de poeta/amante/amigo/confidente.

Eduardo Coreixo

2 comentários:

Anónimo disse...

E quem não precisa, de vez em quando, de uma mascara? Mas as mascaras são perigosas, não são? Ás tantas, já nao sabemos distinguir a verdade da ilusão.

Como me compreendes. Promete que não paras de escrever. Prometes??

Um beijo de leste. :-)

Claudia disse...

A realidade não permite mesmo devaneios. A poesia, então, como salvação- ninguém se consegue manter lúcido por muito tempo(penso).

Beijinhos e empresta-me o fato de mimo, quando puderes. =) Não deixes Mesmo de escrever.