terça-feira, 1 de abril de 2008

humanos

Um dia, gostava de conseguir penetrar na tua cabeça. Descortinar-te pensamentos, sentimentos...encontrar uma ponta do novelo e começar a desembaraçar-lhes os nós.
Facilitava bastante o entendimento humano se tal fosse possivel, porém, nesse caso o que me intriga, os dilemas deixariam de existir.
Que se dane o entendimento humano! Pra quê perceber-te?
Escapas-te-me por entre os dedos, foges-me... Não quero saber porque.
Só queria que voltasses para trás, sem exitar, me abracasses e dissesses: 'Não percebes? tou aqui!'

2 comentários:

Eduardo disse...

andamos a precisar de espairecer...

JBarroso disse...

hesitar peço desculpa!