quinta-feira, 21 de maio de 2009

I'm a loser

Recuso-me por vezes a desistir. Tornou-se uma quimera, essa luta constante de se saber o que se quer, mas não podendo resistir à tentação, por aqui me vou mantendo.
São loucas essas vontades de continuar a sonhar, e relaxar porque ficámos em 2º lugar, o que à partida não será mau. Mas quem ou o quê, que ficou em primeiro, merece isso mais do que eu? Nestes momentos acredito que nem sempre a classificação final é a mais correcta, e existe uma raiva interna, uma dessas modernices a que agoram chamam de...Stress. Eu acredito que apenas é desejo de vencer. Só isso.

Bastou olhar para esses globos oculares alheios, para perceber que tudo estava distante daquilo a que estava num contracto de compra-e-promessa, porque não existia a cláusula de compra-e-promessa-de-apenas-quando-me-apetecer. Isso não é justo! Mas que raio, porque raio (digo eu!) fico a mirar as nuvens passageiras, as aragens brejeiras, as dentadas numa maçã quase morta... quando tu olhas céus incandescentes, pesquisas ventos murmurosos, e comes à garfada essa tua vida levemente passageira?

É dificil não pedir desculpa, mas não quero que peças. Tornou-se essa a tua vida, aquela excitação de um momento instável como as teclas de um piano de cauda. Apenas é aquela maneira de saber que o desejo poderia ser correspondido, logo quando as prioridades são diferentes, de diferentes maneiras, de diferentes pontes e cruzamentos. Contra-infracção grave! Porquê? Porque te esqueceste de carimbar o selo nessa tua livre circulação de sentimentos ruidosos, que se têm vindo a mostrar cada vez mais penosos para mim...e para a tua consciência.

Tocar o invisível, chegar ao impossivel, sentar em cima de uma folha. Pensas nisso, como o fazias antigamente? Será que ainda és a mesma?

Vou ficar a pensar nisso.

(Mais uma pequena excepção...!)
Eduardo Coreixo

5 comentários:

nathyacarmylle disse...

Suas exceções ficam a cada vez mais desejosas por mim.

No Limite do Oceano disse...

O Stress e tudo o resto que ele trás...falas de dentadas numa maça quase morta.

Como uma maça pode representar um desejo, não há razões para te sentires um "loser", há quem diga que há mais marés que marinheiros, tudo bem, mas quando o mar está revoltado, o melhor é trocar o nosso pequeno barco, pou um submarino, aí ninguém nos chateia :-)

Abraço,
Carlos

Eduardo disse...

Muito obrigado pelos gentis comentários.

' Rôh disse...

Como sempre, muito bom Eduardo!!!


Abração, cara.


;D

Alucard disse...

e que venham muitas mais.

por vezes também a mim me soa o segundo lugar muito familiar...


resta-nos lutar sempre pelo primeiro.