terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Um amor,sem desistir.


Já passou algum tempo desde que te escrevi palavras...mas este texto é de novo para ti.

Sigo as tuas pegadas deixadas no tempo passado.
Imagino-te a caminhar para longe, sem te poder apanhar
E pedes-me para ir devagar...que te irei tocar.

O carinho de toques teus, é uma tentação minha
Juro pelo sentimento que em mim trazes, que tudo não é mentira
E que não te consigo perder no horizonte.
Nada foi o que será. Cliché.
Tão perto do meu sol, do teu sabor
Quero-te porque me transformas em mim
E de ramos quentes de verão, trazes-me a sensatez.

Falo-te para que me imagines,
Escrevo-te para que me vejas
Porque nada é eterno, mas as tuas mãos em mim deixam marca
Sem nunca querer saber o porquê
Trago-te para mim. Nunca tão longe como distante
Olhas-me por bem, crias-me como eu te criei
Sentes-me como te sinto,
Beijas-me como te beijo,
Tocas-me como te toco.

Esquece que eu sou eu:vives em nós?
Tu e eu...nada mais interessa.

Amar-te-ei para sempre.

Eduardo Coreixo

2 comentários:

João disse...

Lindos os versos que entoa, mais linda é/foi a paixão que os invoca :)

Maggie disse...

"Porque nada é eterno, mas as tuas mãos em mim deixam marca."

*thumbs up*