quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Tempo


O tempo voa. Passa a correr velozmente sobre nós, transcende-nos, e tudo à nossa volta de dissipa... o que em tempos nos era difícil de assimilar clarifica-se e amadurecemos, tornamo-nos experientes. Eu sinto o peso do tempo decorrido nas minhas costas, sinto a experiência de vida acrescida, sinto-me a sufocar. Sufoco perante a juventude perdida, perante a responsabilidade precoce... E o tempo continua a passar, leve e descontraidamente isento de responsabilidade, sem assumir a responsabilidade de nos envelhecer, de nos cansar, de nos mudar... Hoje sinto-me triste, com o tempo vou-me apercebendo que o que me rodeia é fútil, sem interesse... refugio-me nos livros, nas suas linhas simétricas, nas suas letras prensadas, nas suas palavras claras, nas histórias contidas nessas linhas...e sonho, sonho com o meu próprio romance, com peripécias ocorridas a heróis e heroínas da antiguidade... imagino-me uma personagem de Eça de Queiroz, uma burguesinha da baixa cujas peripécias nos fazem rir, rir até não poder mais, esquecer, esquecer por momentos toda a desilusão que o vento trás com ele ao passar, ao voar em direcção ao futuro incerto que eu vejo a aproximar-se velozmente do meu horizonte com esperança, uma esperança vã e infantil da utopia do futuro melhor...e com isto a vida passa, passa tão depressa que nem damos por ela passar, e quando reparamos é tarde... tarde demais, já não há tempo. Já não tenho tempo.

2 comentários:

Eduardo disse...

tenho o priviliegio de ser o teu primeiro a comentar.lol. Gostei, começas mto mto bem. Grande nova aquisição para o blogue.
Continua assim, e pode ser que chegues ao nivel de todos os outros escritores deste blog.lol
Agora a serio, gostei imenso.Pessoal, mas eu consegui entender, pk sei do k trata, se me entendes
grande bjo afilhada

Claudia disse...

Amei. Bem-vinda ao Bloguito e continua a deliciar-nos com a tua escrita.

Beijinhos da colega, =)

*******