domingo, 4 de maio de 2008

De que cor é o teu céu?

O meu céu anda cinzento.

Tenho cinquenta imagens a preto e branco que procurei para colocar por aqui. Não tenho uso para elas, embora as ideias fossem muitas. Há que entender que os pensamentos estão constantemente a perderem-se nesta coisa da vida.
Tenho uma estrada que, por enquanto, me foi fechada ou não me é a mais benigna. Não tenho pés não cansados. Tenho uma mala que nunca tive forças para segurar e se não é agora, é quando eu não quero. Cansada, ada, íssima... sempre.

Não peço que entendam, mas dava jeito. Preciso de cores, vou viajar por uns tempos.

Não me posso despedir de todos da mesma maneira. Poder até posso, mas não quero ser ingrata. Nem poética, nunca estive aqui para isso, por isso:
Eduardo, obrigada por esta viagem linda que tem sido feita ao ler-te e ao me dar a ler. Hoje acredito que me conheces tão bem que não me sei despedir de maneira bonita. E tens um Dom, quer queiras , quer não. Continuarei a estar por cá.

Cerberus e Ciocarlia: Se acreditasse no acaso, hoje era só a ele a quem batia palmas, por vos ter posto no meu caminho, neste quente do meu antigo e futuro abrigo. Mais uma vez, obrigada, Eduardo. Dois casos de talento puro.

Andreia e Joana: Gostava de vos ter lido mais vezes. Gosto muito da vossa escrita, mas a sua escassez ainda não me permitiu conhecer-vos. Se é que se conhece alguém pela escrita. Mas eu continuarei a estar por cá.

Estou pequenina com cinquenta imagens por publicar. Quarenta e nove, para ser mais exacta. Não peço que entendam, mas dava jeito. Cores que ameaçam rebentar no céu e eu tenho de ir, tenho de ir, porque tenho uma mala que diz que tenho de ir.


Até breve.
Cláudia Alves

1 comentário:

Andreia disse...

Envergonho-me por não ter lido este texto antes! Como é certo e sabido, a minha escassez de escrita e passagem pelo blog é mais que evidente. Obrigada pelas palavras amigas :) Agora que voltaste, vou novamente ter o prazer de "te poder ler" :D

Beijinho*